Cirurgia Ortognática

Cirurgias ortognáticas são cirurgias corretivas que têm por objetivo corrigir deformidades dentofaciais. Deformidades dentofaciais são alterações dos dentes, ossos e/ou tecidos moles que podem ser congênitas ou adquiridas (hábitos nocivos ou trauma). O tratamento destas deformidades é realizado por diferentes especialidades simultaneamente.

Normal Normal
Deformidade dentofacial Deformidade Dentofacial

Os objetivos da cirurgia são proporcionar ao paciente um encaixe normal entre os dentes superiores e inferiores, facilitar a respiração, a fonação e a deglutição, além de corrigir alterações estéticas da face. Pacientes portadores de deformidades dentofaciais que não recebem cirurgia podem desenvolver, além dos problemas citados, distúrbios na articulação da mandíbula, dores faciais, e dificuldades psicossociais em virtude das queixas estéticas.

Encaixe correto Encaixe correto
Encaixe incorreto

O cirurgião oral e maxilofacial deve trabalhar em conjunto com o ortodontista no tratamento de pacientes com deformidades dentofaciais. Essa interação é essencial para a obtenção de um bom resultado. Além da cirurgia e ortodontia, outras especialidades como fonoaudiologia, fisioterapia, e psicologia são muitas vezes necessárias na otimização do resultado final.

Para ser submetido a uma cirurgia ortognática o paciente deve possuir um estado geral de saúde adequado, o que é analisado através de exames de sangue, urina, radiografias, eletro-cardiograma, ou outros exames que se mostrem necessários dependendo do caso.

Radiografia de perfil e traçado cefalométrico RADIOGRAFIA DE PERFIL E TRAÇADO CEFALOMÉTRICO

A maioria das cirurgias ortognáticas é realizada sob anestesia geral em ambiente hospitalar. Elas são realizadas por dentro da boca para não deixar cicatrizes na face. Durante a cirurgia são feitos cortes nos ossos e estes são posicionados adequadamente, permitindo o correto encaixe entre os dentes superiores e inferiores. A utilização de placas e parafusos de titânio para fixar esses cortes evita a realização de bloqueios maxilo-mandibulares e permite que o paciente recupere-se com mais rapidez e mais conforto.

O pós-operatório é controlado com drogas antiinflamatórias, analgésicas, e antibióticos, além dos cuidados de dieta, repouso, e fisioterapia. As duas primeiras semanas exigem paciência e determinação para que se obtenham melhores resultados.

Repouso Repouso

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player